O Reino da Rainha de Copas


Resultado de imagemAs visões da história que tanto conhecemos em "Alice no País das Maravilhas" são simplesmente magníficas. Com um enredo pra lá de lúdico, a trama criada por Lewis Carroll nos leva a um mundo onde o impossível acontece. Vamos, siga o coelho branco e partamos para uma aventura no reino da Rainha de Copas.

Diversas representações já foram feitas para retratar o maravilhoso mundo em que Alice se encontra. Desde a passagem pela poço, - lugar que tem uma profundidade incalculável e com paredes repletas de objetos estranhos, quadros e livros - até a entrada no reino da Rainha (com a deixa marca: Cortem-lhe a Cabeça), a menina vive aventuras um tanto incomuns, com os amigos instigantes e enigmáticos que conhece rumo ao desconhecido, em busca de uma solução certeira para sair daquele lugar.
No filme de Tim Burton em 2010, a apresentação de Alice no País das Maravilhas é espetacularO filme tem um elenco incrível, que inclui Johnny Depp, com quem já trabalhou com Burton em muitos de seus filmes. O filme inspira tantos excêntricos trajes de Halloween que vai certamente dar-lhe um olhar de destaque, uma vez que os efeitos de animação dos personagens são incríveis e completamente realistas.


Agora, com o crescente sucesso da série de sucesso Once Upon a Time (série fantástica que recria as diferentes histórias dos personagens encantados), o spin off: Once Upon a Time in Wonderland é uma adaptação bem-sucedida e com o mesmo toque diferente das outras adaptações, além de se ambientar no mesmo universo de Once Upon a Time. No atual País das Maravilhas, as aventuras de Alice são apresentadas com flashbacks da pré-maldição do lugar. Centrando-se na aclamada obra de Carroll, foi refrescante ver como essa nova visão sobre o reino mágico da Disney garimpa para fora em outras produções. 

Já no mundo dos quadrinhos, a fantástica obra é representada pelos famosos personagens de Maurício de Sousa: Turma da Mônica Jovem, o sucesso adolescente da Turma da Mônica. Presente nas edições 21 e 22 da revista mensal, a história gira em torno de Marina (filha de Maurício na história) em ser levada para o País das Maravilhas, por ser confundida com a verdadeira Alice. Concomitantemente com a ligeira confusão, os demais integrantes da turma são também transportados e transformados em personagens do livro (sem ao menos se lembrarem de quem são). O desfecho cabe à protagonista Mônica, que vai em busca de seus amigos e celebra uma divertida aventura baseada no conto de Carroll.

   

Um livro mais atual, porém que não deixa de apresentar as características do mundo maravilhoso, é o ilustrado pela desenhista Camille Rose Garcia, representando uma bela interpretação do clássico em estilo gótico.


Ás vezes, como sempre digo, é muito bom se aventurar em livros ou séries que nos transportam para um mundo distópico e surreal, onde a fantasia é a chave para uma excelente maneira de compreender as coisas. Agora me digam, vocês gostam desse mundo maravilhoso representado nas obras?

Que tipo de leitor você é?


Os leitores vêm em todas as "formas" e "tamanhos". Todos nós temos nossas preferências quando o assunto é o gênero que preferimos. Alguns de nós preferem uma maratona de leitura, outros apenas se envolver, entrando e saindo de obras literárias. Existem muitos tipos de leitores. Você se reconhece em qualquer um desses?

Concentrados em personagens
Um tipo de leitor de ficção literária mantém um olhar atento sobre o desenvolvimento do personagem e não consegue entender como outros leitores podem achar esses personagens maçantes. Estes leitores estão interessados ​​em ler romances que incidem sobre a condição humana e seguram um espelho para nos mostrar uma nova perspectiva. Cada autor é bom no desenvolvimento de seu personagem e não cabe a cada leitor notar isso, entretanto, os mais críticos perceberão.


Apreciam apenas a história
Existem vários tipos de leitores que não se preocupam com os personagens; eles estão apenas interessados ​​em uma história cheia de ação em um ritmo acelerado em que muita coisa acontece. Eles não têm empatia com os personagens e nem se identificam com os protagonistas. A ação fala mais alto que palavras, e esses leitores são simplesmente viciados em adrenalina - restritas à cadeira, que necessita de sua correção.

Precisam saber o final
Alguns leitores não podem pegar um livro sem olhar o final primeiro. Eles querem um aviso justo, para saber se há um risco de ser traumatizado pela morte de seu amado personagem principal ou saber o que o futuro reserva para os principais personagens. Estes leitores estão cheios de empatia e compaixão, e se identificam com o protagonista a um alto grau. Portanto, eles estão propensos a comprarem uma série de livros e se tornarem fãs leais de autores cujos livros gostam de ler.

Odeiam Spoilers
Alguns leitores simplesmente odeiam spoilers [sim, tenho trauma quanto a isso] e por isso nunca lerão comentários a respeito do livro. Eles querem ser surpreendidos em cada página e não gostam do prenúncio de mão pesada dos acontecimentos ainda por vir. Estes leitores querem resolver o "quebra-cabeça" da história por si mesmos. É um sinal de inteligência, não a falta de compaixão para com os personagens. É muito difícil promover livros a este grupo de leitores, porque até mesmo a "sinopse" na contra-capa pode ter muitos spoilers para seu gosto.

Impacientes
Quantos de nós ocasionalmente pulamos páginas com certa impaciência? Alguns leitores são tão impacientes para descobrir o que acontece com seus personagens favoritos, que pulam capítulos inteiros de um livro. Eles tendem a ser os leitores que não têm nenhuma compreensão do tema do livro ou que não se importam muito com a literatura - eles só querem ser entretidos "ao estilo da TV," folheando um livro como fariam através de canais de TV com um controle remoto. Estes leitores tendem a ser "críticos", vociferantes e condenam um livro como sendo maçante ou com falta de ação e impacto, simplesmente porque estavam a preguiça de ler tudo e podem ter perdido todos os bons pedaços.

Nunca há um momento maçante
Alguns leitores entram em pânico selvagem quando pensam que perderam certo indício porque eles acidentalmente ignoraram um parágrafo ou uma página. Eles são os tipos mais envolvidos de leitores, e se identificam com o protagonista, lendo todo o romance de capa a capa, analisando cada detalhe e traço de caráter dos personagens, na esperança de descobrir absolutamente tudo, antes mesmo do livro chegar ao fim.


Os leitores da moda
Este tipo particular de leitor só lê livros que têm sido recomendados pelas pessoas. Eles querem ser considerados como fazendo parte da "moda" de ler certo livro que é um sucesso total para todos os públicos, e mesmo se não gostam do gênero livro, eles ainda irão comprá-lo. Eles podem apenas saltar através dele, não lê-lo na íntegra, mas estarão certos de expressar uma opinião sobre ele. Todo mundo é um crítico nos dias de hoje!

Que tipo de leitor é você? O que achou da postagem?

Fonte da Imagem/Capa

Resenha: Marina



Título: Marina
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Editora: Suma de Letras
Páginas: 192

Sinopse: Neste livro, Zafón constrói um suspense envolvente em que Barcelona é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões. É um desses antigos casarões aparentemente abandonados que chama a atenção de Óscar, que logo se aventura a entrar na casa. Lá dentro, o jovem se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo. Mas ele se assusta com uma inesperada presença na sala de estar e foge, assustado, levando o relógio. Dias depois, ao retornar à casa para devolver o objeto roubado, conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora. Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério, passando por palacetes e estufas abandonadas, lutando contra manequins vivos e se defrontando com o mesmo símbolo - uma mariposa negra - diversas vezes, nas mais aventurosas situações por entre os cantos remotos de Barcelona.


Oi, pessoal! Tudo bom com vocês? Como sabem a resenha de hoje é muito especial para mim. O livro em questão não é um lançamento e nem conhecidíssimo, mas é o meu favorito. De fato, conheço poucas pessoas que o leram e é por esse motivo que encaro como uma missão especial recomendá-lo a quem posso, porque a escrita do autor é maravilhosa, envolvente e merece ser lida por todo mundo. Mas vamos ao que interessa: o livro da resenha de hoje é Marina, do espanhol Carlos Ruiz Zafón. Espero que gostem!

Logo na primeira página vamos nos deparar com Óscar, um adolescente de 15 anos que vive em um internato da Barcelona do século passado. Como todo adolescente, anseia em viver aventuras como as que leu em livros, o que o leva a se passear pela cidade quase todos os dias para explorar as ruas desertas, esquecidas pelo restante da população. Num entardecer de um dia qualquer, em meio a uma aventura que tinha tudo para acabar como todas as outras, ele descobre uma mansão aparentemente abandonada. Só que de dentro dela vem uma música, o que o leva a se aproximar. A primeira coisa que ele repara é num relógio de bolso, mas no instante em que o pega com a intenção de observar melhor, vê um vulto se aproximar. Isso é o bastante para que Óscar volte correndo para o internato e só chegando lá é que percebe que ainda tem o objeto seguro em uma das mãos. É através desse relógio que o nosso protagonista vai encontrar a aventura que tanto sonhou.

No dia seguinte, se sentindo culpado por ter ficado com algo que não lhe pertencia, ele volta para devolver o objeto, mesmo temendo que a mansão fosse mal assombrada. E lá que ele vai descobrir que a sua primeira impressão estava errada e que os moradores do local estão vivos, por mais peculiares que sejam: Marina, seu pai Germán e o gato Kafka. Tal como Óscar, ela anseia por aventuras e a ideia de ter encontrado um amigo novo é tudo o que a menina precisa para arrastá-lo pelas ruas de Barcelona. Logo no primeiro passeio os dois vão parar no cemitério abandonado da cidade, onde Marina mostra a ele uma mulher a qual ela nomeou de Dama de Negro. A tal mulher visita sempre o mesmo túmulo, no qual não há qualquer identificação que não seja uma borboleta negra. Se Óscar queria apenas explorar a cidade, acabou encontrando, graças à nova amiga, uma teia de mistérios que vai se mostrar mais perigosa do que qualquer um deles poderia supor.

“Naquela noite, Mijail disse que a vida concede a cada um de nós apenas alguns raros momentos de pura felicidade. Às vezes são apenas dias ou semanas. Às vezes, anos. Tudo depende da sorte de cada um. A lembrança desses momentos nos acompanha para sempre e se transforma num país da memória ao qual tentamos regressas pelo resto de nossas vidas, sem conseguir. Para mim, tais instantes estão enterrados para sempre naquela primeira noite, passeando pela cidade...”
A trama criada por Zafón é envolvente porque o que parece ser apenas um livro juvenil se torna uma busca desenfreada pela verdade, pelo crescimento e pela compreensão. Óscar e Marina são jovens demais para compreenderem sozinhos o mistério da borboleta negra e pela sua corrida desenfreada por Barcelona eles vão encontrar aliados importantes e inimigos poderosos. Juntos vão descobrir que nada é o que parece ser e que alguns segredos deveriam ficar enterrados para sempre.

É difícil explicar o motivo pelo qual é o meu livro favorito, ainda mais por não querer dar nenhum spoiler, mas desde que o li pela primeira vez me encantei com a história criada. Acho brilhante a forma como esse autor consegue criar uma trama tão complexa, cheia de reviravoltas e com todas as pontas amarradas em menos de duzentas páginas. É impossível não se encantar pela coragem do Óscar, pela curiosidade da Marina e pela bondade de Germán.

“- Deve ter percebido que não temos eletricidade, Óscar. Na verdade, nós não damos crédito aos avanços da ciência moderna. Afinal de contas, que tipo de ciência é essa, capaz de colocar um homem na lua, mas incapaz de colocar um pedaço de pão na mesa de cada ser humano?”
Ao longo da narrativa nos deparamos com cenas dignas de filmes de terror e suspense, por mais que esse não seja apenas o foco do livro. Também há a descoberta do primeiro amor e o drama vivido dos personagens misteriosos. Confesso que mesmo já conhecendo a história de uma ponta a outra, sempre fico tensa em alguns momentos, como se essa fosse a primeira vez que fizesse a leitura. Por isso que digo que a escrita do Zafón é quase mágica, justamente pela habilidade dele em encantar o leitor tanto na primeira vez quanto na segunda. E na terceira, na quarta... Ele é descritivo sem ser enfadonho e envolvente sem nos prender a apenas um personagem. As motivações de todos eles são explicadas para justificarem os motivos os que levaram a agir de determinada forma, então mesmo que exista um vilão, até com ele consegui me identificar e compreendê-lo.

A descrição dos locais é realista de tal forma que me senti em Barcelona durante toda a leitura. Junto com Marina e Óscar eu percorri cada uma daquelas ruas, mansões e lugares abandonados. Enquanto lia, ao mesmo tempo projetava um filme na minha cabeça. Zafón não escreve apenas para nos contar histórias. Ele nos coloca dentro delas e nos convida a se aventurar com os personagens.

Por ser uma um livro dinâmico e ter poucas páginas, o terminei em um dia. Narrado pelo ponto de vista de Óscar, a leitura culmina em um final tão marcante que sempre me dá vontade de sentar com o Zafón e discutir a história desses personagens. E, claro, abraçá-lo para agradecer por compartilhar com o mundo um livro são incrível. Marina é o tipo de leitura que todo mundo deveria fazer ao menos uma vez na vida, porque escrita do Zafón não se prende a idades, regiões ou características culturais. Ela é atemporal, universal e merece ser conhecida, para que jamais seja esquecida. Se é verdade que um autor vive através de seus livros, então só posso acreditar que Zafón coloca um pouco da sua alma em cada um que ele escreve. Mais do que recomendado. Leiam, leiam!

Até a próxima!

Leituras Tenebrosas



Geralmente as pessoas interagem com hesitação em relação à obras cuja temática é o horror. Por vezes pensamos descaradamente em evitar certos tipos de livros ou filmes capazes de nos submeter ao espanto. Dizem pesquisas que o susto (moderado, obviamente) não faz tão mal assim. Se você pegar, por exemplo, um filme bastante assustador e assisti-lo em uma noite escura e sombria, você consegue realizar a troca perfeita de mais ou menos meia horinha de corrida (que seja meras 113 calorias).

Agora, focando mais nessas obras, trago uma listinha para vocês de alguns livros que nos submete ao medo. Vamos ver se somos capazes de aderir noites regadas à livros assustadores. Será que conseguimos?

A Coisa



Todos sabemos que as histórias criadas por Stephen King são verdadeiras representações de horror (algumas mais leves, outras mais pesadas). O que não é diferente no livro A Coisa, onde um enredo com uma essência assustadora - ambientada em dois períodos - e as 1103 páginas de puro suspense, são capazes de nos prender na história do temível  palhaço Pennywise. O livro conta também com uma adaptação cinematográfica que faz jus ao estilo de leitura

Trilogia da Escuridão

Trilogia da Escuridão é composta por livros eletrizantes, e compõem uma coleção ideal para àqueles que apreciam histórias aterrorizantes e sobrenaturais. São eles: NoturnoA Queda e Noite Eterna. Com descrições super detalhadas e uma narrativa pra lá de atraente, a coleção nos mostra a verdadeira face dos vampiros (os maus - ignorem os vampiros mocinhos e bonzinhos), revelando suas condições biológicas - como animais - e sem aqueles toques fantasiosos. 

Os Três


O livro não é propriamente do gênero em questão, mas em certos pontos merece esse título. Em uma agitada leitura, vocês serão os receptores de uma infinidade de emoções e se pegarão surpresos por sentimentos que imitam o desconforto. Lendo uma história que conta trágicos acidentes e o seu desenrolar perturbador, suas noites escuras de leitura serão sempre vividas ao alerta.  

Coleção A Torre Negra



Olhem o nosso lendário mestre do terror aqui de novo. Na coleção A Torre Negra, são 8 volumes bem representados pelo autor, através do personagem Roland Deschain, visionário e último pistoleiro de um mundo vazio, que vai à procura da Torre Negra, lugar na qual encontra-se o eixo de todo o tempo e espaço. A obra é um tanto complexa para ser explicada e exige uma atenção extra do leitor, entretanto vale salientar que a coleção além de apresentar o lado sombrio de um mundo, ainda consegue persuadir o leitor emocionalmente em diversas partes do livro. As mais de 4000 páginas da série farão parte de uma experiência única em suas vidas.

The Walking Dead

Resultado de imagem para coleção livros the walking dead

Para finalizar a nossa lista, trago a aclamada série de livros The Walking Dead. Para mim, essa coleção de livros se encaixa perfeitamente no gênero de horror/terror. Um apocalipse zumbi não é pra qualquer mundo não e, por comparação, é um tema muito forte para a classificação em outros gêneros. A série consegue nos trazer uma tom diferente de terror. Explico: Normalmente, em livros desse gênero, somos levados a conhecer mundos sombrios em que coisas horrorosas acontecem, contudo, já começar a leitura com o pensamento cheio de previsões - por a maioria das pessoas assistirem a série primeiro - acredito que a leitura não será tão cheia de expectativas quanto aos outros títulos. 

Agora me digam, vocês teriam o sangue frio de se aprofundarem em alguns desses títulos em uma noite negra e sombria? ~.~  Vocês conhecem mais livros com essa temática?

Harmonia


harmonia é um conceito clássico que se relaciona às ideias de belezaproporção ordem. E para nós, pelo menos nesse momento, o que são dignas representações de beleza, proporção [sim] e ordem [também] ? Os livros. São deles a função de nos levar para outro mundo, entrando em nossas mentes e ali permanecendo com suas histórias marcantes envolventes. Existem uma infinidade de gêneros, premissas e histórias nesse universo fascinante e inegavelmente apaixonante. A postagem de hoje é focada em nos mostrar alguns livros misteriososinstigantesordenados proporcionalmente belos, [trocadilho infame com a definição de harmonia] que atraiu minha atenção e com certeza levará um pouco da atenção de vocês.

Resultado de imagem para livro aristóteles e dante descobrem os segredos do universoPrimeiro, vamos ter um momento de grande apreço pelo título mais longo e mais bonito de um livro: "Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo". Este livro é mais como " Descobrir o segredo de Aristóteles e Universo de Dante ". E eu só lamento uma coisa: ainda não terem criado uma máquina capaz de fazer esquecer os livros já lidos simplesmente pra termos a deliciosa e única sensação de ler novamente. Apenas me resta caracterizar o livro como "Lindo". Simples assim. As palavras com tinta no papel parecem ser mais que palavras com tinta no papel. No mundo literário, é sempre bom acompanhar uma história poética, real e que verdadeiramente vem da alma dos personagens . Desde que vi a belíssima capa do livro [ e, obviamente, sua sinopse] meu interesse logo foi voltado para a frase: "Preciso ler aquele livro."

Mas qual a história do livro? Aristóteles sempre foi solitário desde que seu irmão foi condenado e preso. Seu mundo é como uma tela em branco esperando para ser pintado. Mas como ele pode colocar cor à sua vida quando, ele próprio não permite que as pessoas entrem nela? Quando " ele encontra um garoto que, apesar de também ter ascendência mexicana e o nome de um intelectual famoso, é completamente diferente dele. O que começa como uma aula de natação aos poucos se transforma numa amizade especial, do tipo que muda a vida das pessoas e dura para sempre. E é através dessa amizade que Ari e Dante vão descobrir mais sobre si mesmos - e sobre o tipo de pessoa que querem ser." Esse trecho foi retirado de uma sinopse super instigante e envolvente. Definitivamente você precisa ler o livro.

Em Alma? é no cenário de uma época vitoriana com elementos steampunk,  lobisomens vampiros, que encontramos uma solteirona heroína [peculiar] e sem alma que pode cancelar a sobrenaturalidade das criaturas acima mencionadas e cujo "poder" a levaria a ser uma jogadora importante no mundo sobrenatural. Para todos os efeitos, também não li o livro, mas a história principal é essa. Alma? é o primeiro volume da série Protetorado da Sombrinha e com certeza merece nossa atenção.

Em Almanova, é difícil não sentir pena de Ana, que vive em um lugar onde todos se conhecem há cinco mil anos. Onde todas as suas memórias voltam cada vez que você está reencarnado. Onde você tem os mesmos amigos, mas pais diferentes e ama durante suas muitas vidas. Ana não tem nada disso. Ela é uma "sem alma" e não está preparada para os perigos que encontra quando ela decide enfrentar Heart, a cidade onde todas as respostas se encontram e o lugar onde ela nasceu. Esqueça leões, tigres e ursos, nós estamos falando dragões, trolls e sílfides! No romance de estreia de Jodi Meadows, somos surpreendidos por um mundo incrível no coração, o lugar que literalmente tem um batimento cardíaco.

São livros sensacionais. Suas premissas instigantes envolventes são o que alimentam nossa vontade cada vez maior de devorá-los. Li apenas um deles [Aristóteles] e essa postagem, basicamente, foi feita para dividir com vocês um pouco desses livros que tanto desejo ler [também queria criar uma postagem com o título "Harmonia" que apareceu em minha cabeça do nada, hoje pela manhã]. O que acharam?

Fonte da Imagem/Capa: Divulgação da Capa dos Livros "Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo" e "Almanova"

Como Harry Potter


Harry Potter tem um lugar especial no coração de todos nós. A partir da leitura dos livros, fica difícil encontrar outros que podem ser comparados com a grandeza das obras de JK Rowling. No entanto, não há necessidade de se preocupar, porque há livros por aí que você vai adorar tanto quanto você adorava ouvir sobre Hogwarts. Aqui estão alguns candidatos que os fãs de Harry Potter provavelmente irão apreciar:

Os Magos

Este é um best-seller do New York Time sobre uma faculdade no "mundo real" que ensina magia. É um pouco mais provocador do que a história de Harry Potter, porque este contém um pouco de sexo e bebidas. Claro, há uma abundância de magia também, a fim de nos dar nossa merecida fantasia.

Percy Jackson e os Olimpianos


Percy Jackson, filho semideus de Poseidon, está destinado a desempenhar um papel muito heroico nesse mundo moderno. Cinco romances fantásticos, cinco aventuras de tirar o fôlego e pelo menos uma centena de razões para pegar suas cópias agora! Se você comprar um desses livros , esteja preparado para comprar todos, porque você não será capaz de parar de ler. Daqui alguns dias tem postagem especial sobre essa série. Aguardem!

Casa de Segredos


JK Rowling deu um fantástico comentário sobre este livro, que já deve ser incentivo suficiente para lê-lo . É sobre três irmãos que se encontram em uma floresta cheia de seres sobrenaturais e guerreiros. Eles precisam trabalhar juntos para sobreviver no novo lugar em que foram jogados, porque todo mundo depende disso.

A Bússola de Ouro


Este livro faz parte de uma trilogia fantástica que com certeza merece sua atenção. É sobre duas crianças que acabam tropeçando através de vários universos paralelos, com bruxas e ursos polares armados. Embora os livros sejam destinadas a jovens adultos, eles são histórias que qualquer faixa etária pode desfrutar.

A Biblioteca de Howgrats
JK Rowling escreveu mais sobre Hogwarts do que você jamais poderia imaginar. Não só existem sete livros de Harry Potter, mas ela também escreveu alguns contos, como Os Contos de Beatle, o Bardo; Animais Fantásticos e Onde Habitam; e Quadribol Através dos Séculos. Apesar de ter sido originalmente sob um pseudônimo, ela também escreveu uma série de livros surpreendentes, iniciada com "O Chamado do Cuco". Embora eles não tenham nada a ver com mágica ou uma fantasia, a série mostra que (também) foi um dos seus melhores trabalhos.

Esses romances mágicos podem ocupar o vazio que sentimos desde que acabamos de ler todos os livros do bruxinho mais famoso do mundo. Qual livro de Harry Potter era o seu favorito da série? Se não leu, tem vontade?

Fonte da Imagem/Capa: Divulgação

Correr ou Morrer


"Maze Runner - Correr ou Morrer" foi um filme de sucesso para adolescentes e jovens adultos. O filme é baseado em um livro de mesmo nome, escrito por James Dashner. Se você teve a chance ler o livro ou não, a verdade é que o filme é sensacional. Querem mais motivos?


Em um mundo pós-apocalíptico, o jovem Thomas (Dylan O'Brien) é abandonado em uma comunidade isolada formada por garotos após toda sua memória ter sido apagada. Logo ele se vê preso em um labirinto, onde será preciso unir forças com outros jovens para que consiga escapar.

Ficção
Precisa dizer mais? Ficção distópica é quando um enredo está configurado em condições sociais ou políticas muito difíceis. Há grandes problemas que precisam ser superados. "Maze Runner - Correr ou Morrer" é uma obra de ficção distópica, caindo na direita com outras obras populares, como "Jogos Vorazes" e "Divergente". Se você já é um fã de algumas dessas obras, então as chances de amar o filme são muito prováveis.

O Mistério
"Maze Runner - Correr ou Morrer" vai fazer você pensar sobre o que está realmente acontecendo durante todas as cenas. Adquirimos a gostosa sensação de tentar descobrir o que irá acontecer após cada passo dos personagens [mesmo que se tenha lido o livro]. O que é ainda melhor é que existem surpreendentes voltas e reviravoltas que você nem perceberá chegar.

Teresa
Teresa foi provavelmente o meu personagem favorito em todo o filme. A última a chegar à clareira, ela é a única garota que enfrenta o terrível desafio do labirinto. Além disso, há vários momentos de humor no filme que Teresa inicia. Você vai adorar a sua coragem, bem como sua bravura, claro, não desmerecendo os outros personagens.

Toda a ação
Definitivamente não há momentos chatos em "Maze Runner - Correr ou Morrer". Este filme é repleto de ação que irá mantê-lo atento a cada segundo, pois você vai se encontrar torcendo por Thomas e seus amigos em sua difícil missão de tentar conquistar o labirinto. Isso realmente me puxou e me fez sentir parte do filme. Se você ama esse sentimento, certamente irá adorar o filme.

É um filme que você vai querer assistir novamente
Este filme já está na nossa lista de filmes para alugar, mesmo tendo visto no cinema. Certo? É definitivamente bom o suficiente para assistir mais de uma vez. "Maze Runner - Correr ou Morrer" é o tipo de filme onde há tanta ação que você sabe que não irá pegá-la toda num primeiro instante. Além disso, você ainda pode desfrutar a emoção nunca falha de assistir um filme novamente.

Há mais pra ver
Há mais por ver sobre o mudo contido em "Maze Runner - Correr ou Morrer". O filme termina bem, mas também permite que você saiba que a história ainda não acabou. Não há um fechamento completo. Ele faz você se sentir animado sobre a próxima parte desta série: "Maze Runner - Prova de Fogo", que foi lançado em 2015. Se você sente que não pode esperar para o próximo filme, sempre pode pegar esta série de livros de James Dashner para ler enquanto essa espera angustiante não termina. "Maze Runner - A Cura Mortal" chega ano que vem.

Asssiti aos filmes e adorei. Assim como "Jogos Vorazes" e "Divergente", "Maze Runner" consegue representar muito bem a verdadeira distopia. Você já assistiu algum filme da série? O que você mais gostou dele?

Fonte da Imagem/Capa: Divulgação


A Condessa


Como "Filhos da Senzala" [resenha aqui]"A Condessa de Assis" me pegou de jeito, assim que me deparei com sua capa sinopse [e título rsrs]. Romances históricos estão cada vez mais subindo no meu conceito e seria quase que inevitável passarem despercebidos por mim. Como dito na resenha, os prazeres de um romance histórico podem despertar inúmeras sensações para quem lê. Adquirimos uma riqueza em sabedoria ao explorar um mundo que nossa história viveu no passado e, através das mesmas, somos tomados por reflexões [mesmo que a história seja fictícia, como é o caso do livro de João Paulo Foschi].

Os comentários do livro, geralmente positivos, entonam a beleza de uma obra que instiga e ao mesmo tempo deixa uma marca ao leitor que a acompanha. Seu começo é caracterizado como instigante e a leitura segue um ritmo bem fluido ao longo das páginas, fazendo com que o leitor se encante com a história de amor entre uma moça de beleza extraordinária e um cavalheiro galanteador, em pleno século XIX, no Rio de Janeiro.

O livro relata a história da jovem Lorena Duarte Valão, filha única de um comerciante abastado e seu amor por Rafael Abrantes, um homem charmoso e aventureiro . Porém, como diz a sinopse, o que a moça não contava é que o aristocrata Atílio Santiago, o Conde de Assis, está perdidamente apaixonado por ela, formando um intrigante triângulo amoroso que mudará radicalmente a vida de todos os envolvidos. Após entregar-se a Rafael e ser por ele desprezada, Lorena iniciará um plano de vingança para destruir o homem que a rechaçou, nem que para isso ela tenha que mentir, trair ou até mesmo matar... O cenário se passa no Brasil Imperial e sua retratação repassa ao leitor uma visão pura das descrições costumes da época, onde as mulheres deveriam se preocupar mais em arranjar bons maridos.

Rio de Janeiro. Século XIX. Lorena Duarte Valão é uma jovem de extraordinária beleza e cheia de ideais romanescos que deseja a qualquer preço ascender socialmente. No grande baile do Cassino Fluminense, após reencontrar-se com o galanteador Rafael Abrantes, nasce uma paixão que acabará por consumir essa ambiciosa arrivista no intuito de conquistá-lo.
Super tenho vontade de ler o livro. Ele é daquele tipo que chama nossa atenção por tudo. O que vocês acharam dele?



Fonte da Imagem/Capa: Divulgação do Livro

Postagens mais antigas Página inicial
Atributos de Verão. Tecnologia do Blogger.