Favelas da Morte

1 Comentario

A literatura nacional sempre esteve presente em minha vida. Sempre gostei de ler obras dos nossos conterrâneos e poder ver tamanha beleza da escrita brasileira. Além disso, os nacionais possuem uma peculiaridade em sua trama que nenhum livro estrangeiro poderá substituir: uma riqueza absurda de detalhes e menções do nosso País, que nos dá a verdadeira sensação de estar presenciando qualquer cena. E hoje vim divulgar um livro nacional que super me chamou atenção: "A morte e os seis mosqueteiros"

Em seu novo romance policial, Anatole Jelihovschi mergulha fundo no cotidiano das infâncias perdidas, dos relacionamentos partidos, das oportunidades que tantos ainda acreditam distantes demais da realidade. A Morte e os Seis Mosqueteiros é um livro de ficção que fala sobre seis amigos que tiveram a infância e juventude marcadas por violência e crime. Em uma comunidade tomada pelo tráfico, esses seis garotos descobrem o que a violência pode fazer com a amizade.

Quando crianças, tudo era uma grande brincadeira para os amigos. Os meninos gostavam de se imaginarem nos mundos de "capa e espada", ou na peça ‘O fantasma da Ópera’, mas, na verdade, moravam em uma favela violenta, com bandidos e policiais trocando tiros e matando gente. Ainda quando a infância sequer os havia deixado, a violência e o tráfico na comunidade em que viviam, de uma forma ou de outra, acabariam por envolvê- los em uma teia de morte, assassinando seus sentimentos, valores e, principalmente, sua amizade


“A favela não seria um lugar ruim de morar não fossem os bandidos e policiais trocando tiros ou fazendo arruaças, a gente tem de manter distância dos dois. Às vezes passam muitos meses na maior calma. De repente se ouve uma chuva de tiros à noite. Gritos, injúrias, súplicas. Cheiro de pólvora, cheiro de carne queimada. De madrugada volta o silêncio. No dia seguinte lá estão os corpos no chão, cercados de poças de sangue; sangue escuro, endurecido, cheio de moscas. Mas o mais assustador são as execuções dos dedos-duros.”


Anatole Jelihovschi publicou Aves Migratórias (Planetário, 2005), Rio Antigo (Rocco, 2009) e A gorda (Ímã Editorial, 2012). Em 2003, foi um dos finalistas do Concurso de Contos do Prosa & Verso, caderno literário do jornal O Globo. Anatole nasceu em 1950, no Rio de Janeiro e ainda guarda 10 livros inéditos. Em seu site e nas fanpages gosta de contar como a literatura nasceu dentro dele, antes mesmo que o amor e a vocação para as ciências exatas.

Você pode adquirir o livro em diversas livrarias. Basta clicar nos links abaixo:

Livraria da Cultura: http://migre.me/qMkJW
Livraria Saraivahttp://migre.me/qQC9Y
Livraria da Travessahttp://migre.me/qGliJ
Martins Fontes Paulistahttp://migre.me/qMm6X

Se você quiser o livro em ePub:

Livraria da Cultura: http://migre.me/qHfaZ 

Acompanhe o livro nas redes sociais:


A situação real das favelas no Brasil [pelo menos em sua maioria], muitas das vezes, é o estopim da inconsciência lógica [vulgo: mentes criminosas] de algumas pessoas que vivem nelas. A falta de oportunidades, aliada a uma sociedade pouco beneficiada é o que contribui para tamanha rebeldia decadência social em lugares onde, assim como adultos, há crianças apenas querendo ser crianças.


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Atributos de Verão. Tecnologia do Blogger.

Featured Post Via Labels

Instagram Photo Gallery